Expectativa para a inflação de 2019 recuou de 3,6% para 3,3%, diz BC

-
27/09/2019

O Banco Central (BC) reduziu as projeções para a inflação de 2019, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 3,6% para 3,3%. Essa previsão vale para o cenário em que a taxa de juros e de câmbio seguem as expectativas do mercado financeiro, divulgadas pelo boletim semanal Focus.

As informações são do relatório trimestral de inflação, divulgado nesta quinta-feira (26/9). Ainda com base no mesmo cenário, a previsão para o IPCA de 2020 passou de 3,9% para 3,6%. Já para 2021 e 2022, a estimativa é de 3,7% e 3,8%, respectivamente.

Neste ano, a meta central para a inflação é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto percentual para baixo ou para cima – 2,75% a 5,75%.

Em um cenário em que a taxa de juros e o câmbio se mantém fixos, a 6% e R$ 4,05, respectivamente, a inflação estimada pela instituição fica em 3,4% para 2019. Nos próximos três anos o IPCA fecha em 3,6%, 3,7% e 3,9%. Ainda neste cenário, a previsão anterior, de junho, mostrava as projeções em 3,6%, para 2019, e 3,7%, para 2020.

Crescimento econômico

De acordo com o relatório, a previsão do BC para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro subiu de 0,8% para 0,9% em 2019. Nos últimos dois anos o crescimento econômico se manteve em 1,1%, após retração em 2015 e 2016.

As últimas expectativas do mercado financeiro, divulgadas pelo Banco Central semanalmente no boletim Focus, mostram um avanço de 0,87% para o PIB brasileiro neste ano.

Para 2020, o Banco Central espera um crescimento econômico de 1,8%. No entanto, é a primeira previsão para o PIB do próximo ano divulgada no relatório trimestral de inflação.

Fonte: Correio Braziliense/Classe Contábil

Compartilhe:

Que tal conversar sobre
Planejamento Contábil?

Agende uma visita com a nossa equipe de especialistas.