Entenda o que é curva de aprendizagem e sua importância na gestão de empresas!

-
17/03/2020

Um colaborador recém-contratado não aprende a desenvolver suas funções, tampouco a se tornar produtivo e lucrativo para uma empresa de um dia para o outro. No entanto, é importante que esse processo ocorra da maneira mais rápida possível, a fim de garantir as expectativas do negócio quanto à integração de um novo profissional à equipe. Para que isso aconteça, uma alternativa é utilizar a curva de aprendizagem.

Isso porque, por meio dela, é possível fazer as análises adequadas e reduzir esse tempo de forma eficiente, para gerar um custo menor da contratação para companhia.
Quer esclarecer alguns pontos importantes sobre a curva de aprendizagem? Então, continue a leitura!

O que é curva de aprendizagem?

Segundo a professora Lucila Conceição Pereira, “Curvas de Aprendizagem (em inglês, Learning Curve) são representações matemáticas utilizadas para verificar o desempenho de trabalhadores quando submetidos a tarefas repetitivas. Esse conceito foi idealizado pelo professor e engenheiro aeronáutico Theodore Wright, em 1936, como resultado de sua observação do processo de redução nos custos de montagem dos aviões durante a Primeira Guerra Mundial.

Na sistematização de seus estudos sobre a maneira como experiências anteriores facilitam a realização de uma mesma tarefa, ele constatou que à medida que repetições são efetuadas, o trabalhador tende a demandar menos tempo para sua execução, fato que pode ser justificado pela familiaridade adquirida com os meios de produção, pela adaptação às ferramentas utilizadas e pela criação de estratégias alternativas ou atalhos para a realização da tarefa.
Nos últimos 80 anos, o estudo e o desenvolvimento de modelos de curvas de aprendizagem tem se intensificado especialmente no meio acadêmico e nos setores industriais e de serviços.”

Ou seja, Curva de Aprendizagem, é uma ferramenta utilizada para avaliar o desempenho do funcionário enquanto realiza determinada atividade ou função. Não se aplica somente aos novos colaboradores, mas também aos veteranos que tenham de executar novas tarefas. Por meio dela, é possível analisar e aperfeiçoar a forma como acontece a integração de novos membros ao time e definir indicadores que avaliem o progresso em relação à produtividade.

Por exemplo, quando um profissional é contratado ou começa a desenvolver uma atividade nova, o esperado é que sua produção seja menor, quando comparada a uma pessoa mais experiente. Dessa forma, o esperado é que o tempo gasto por ele para concluir a obrigação seja cada vez menor à medida que ela vai sendo desempenhada.

Com isso, o ritmo vai aumentando progressivamente e seguirá um parâmetro previsível e possível de calcular para a elaboração de um planejamento de atividades futuras.

Como reduzir o índice da curva de aprendizagem e gerar mais produtividade?

Existem estratégias a serem usadas para gerar maior produtividade dos colaboradores, sem afetar a qualidade dos serviços prestados. Confira algumas delas a seguir.

Ofereça treinamentos

Ao longo do processo de integração à equipe e ao desenvolvimento de uma nova função, é normal que dúvidas apareçam e surjam atrasos no processo produtivo. Por meio de treinamento é possível, aperfeiçoar, gerar conhecimento, qualificar e esclarecer essas indagações, o que acarreta aumento da produtividade, qualidade dos serviços executados, além de reduzir os riscos de acidentes de trabalho.

Conheça os pontos fortes e fracos de cada funcionário

Uma dica é usar a matriz SWOT para mapear os pontos fortes, fracos e habilidades dos colaboradores. Isso porque, por meio desse mecanismo é possível identificar oportunidades e ameaças ao desenvolvimento profissional, e contribuir para a tomada de decisão com o intuito de melhorar os resultados.

Defina metas individuais para o colaborador

Quando as metas e objetivos são estipulados para a equipe em geral, as características de cada integrante não são consideradas e, muitas vezes, os profissionais recém-contratados acabam sentindo-se pressionados com metas que ainda podem parecer difíceis de ser atingidas.
Nesse caso, o adequado é alinhar as particularidades do colaborador com as metas definidas, tendo em vista que quando elas são reais e alcançáveis, eles se sentem mais engajados para chegar ao resultado esperado.

Invista na comunicação interna

Como já foi dito, os primeiros dias de execução de uma nova tarefa ou função pode gerar várias dúvidas, tanto ligadas à prática quanto à rotina da empresa. Então, investir na comunicação interna pode contribuir muito, já que quanto mais clara e transparente ela for, mais o profissional vai se sentir à vontade para conversar com a equipe quanto às suas inseguranças, o que contribui para que ele aprenda rapidamente e adquira as habilidades necessárias para desenvolver seu papel.

Elabore uma ação de mentoring

Para evitar sobrecarga no time de mentores, uma estratégia é estipular um número de trabalhadores que cada um deve acompanhar. Além disso, é interessante que ao final de um período determinando, que pode ser trimestral, semestral etc., um feedback seja repassado para apontar o desenvolvimento e potencial de aprimoramento dos colaboradores.
Conseguiu entender a importância da curva de aprendizado para as empresas? Por meio dela, é possível obter informações importantes para propiciar melhorias ao processo produtivo do negócio. No entanto, é importante que esses índices sejam avaliados com regularidades para não se perder o nível já estabelecido pela organização.
Achou o post interessante? Então, siga nossas redes sociais e fique por dentro das novidades. Estamos no Facebook e Instagram!

como-abrir-uma-empresa-5-passosPowered by Rock Convert
Compartilhe:

Que tal conversar sobre
Planejamento Contábil?

Agende uma visita com a nossa equipe de especialistas.