O Que é o Ativo Circulante?

05/07/2018

Ao tornar-se empreendedor, é fundamental adquirir conhecimentos de contabilidade, um dos destaques é o conceito de ativo circulante, que se refere às disponibilidades financeiras de um negócio. Mesmo tendo um contador para gerir as finanças – o que é expressamente recomendado – mostra-se importante aprender um pouco sobre o universo dos números que cerca a vida empresarial.

O Que é Ativo Circulante?

O ativo de uma companhia está dividido em dois grupos: o circulante e o não circulante. Nesse contexto, o primeiro tipo se caracteriza por ser facilmente convertido em dinheiro, como conta bancária com movimentação, contas a receber, estoques, mercadorias, insumos, aplicações financeiras, bens, entre outros.

Uma forma simples de apresentar esse conceito é pensar em tudo o que a organização possui e poderia ser vendido em pouco tempo sem muito esforço, gerando dinheiro. Os bens e direitos conhecidos como ativo circulante deverão ser consumidos, vendidos ou convertidos em dinheiro dentro de um período determinado de operações do empreendimento. Por ser realizável a curto prazo, é o ativo que possui maior liquidez na empresa.

Ativo Circulante Operacional x Ativo Circulante Financeiro

Para o cálculo que observa a necessidade de capital de giro, deve-se considerar os conceitos de ativo circulante operacional e financeiro. É bastante simples, os ativos considerados operacionais são aqueles que resultam da atividade empresarial, como contas que serão recebidas ou mesmo o conteúdo do estoque. Já no âmbito financeiro, temos os ativos provenientes de atividades financeiras como o caixa da companhia e aplicações.

O Que é Ativo Não Circulante?

Lembra que citei que existem dois grupos de ativos nas organizações? Pois, então, chegou o momento de explicar a que se refere o ativo não circulante. É o oposto do circulante, ou seja, não são passíveis de realização a curto prazo. Refere-se às contas que a companhia possui de longo prazo ou que se encontram imobilizadas, como marcas, patentes, terrenos, investimentos (inclusive aqueles que têm um prazo mais longo de rentabilização, não entrando no exercício do ano), entre outros.

Para saber quais são os ativos de um negócio, basta somar os circulantes aos não circulantes. Juntamente com os passivos, o conjunto de ativos, é o que integra o chamado balanço patrimonial. Outro dado interessante é que quando se subtrai o passivo do ativo se chega ao patrimônio líquido da empresa.

Passivos Circulantes e Passivos Não Circulantes

No que concerne a passivos, também há aqueles que são circulantes e não circulantes. O primeiro grupo refere-se a obrigações de curto prazo (pagos em menos de 12 meses) que o negócio possui, como, por exemplo, pagamentos a fornecedores, um custo que se repete com grande frequência. Os passivos não circulantes são as obrigações de longo prazo, isto é, aquelas que demorarão mais para serem pagas. Um empréstimo junto ao banco é um exemplo desse tipo de passivo.

Conhecendo a Liquidez Corrente de Uma Organização

Em contabilidade, o que se conhece como liquidez corrente é a capacidade que o negócio tem realizar o pagamento das suas dívidas a curto prazo (os passivos circulantes). Será possível chegar a essa resposta a partir da divisão do total de ativos circulantes pelo total de passivos circulantes. Quando o resultado dessa divisão é superior a 1, a companhia apresenta capacidade de pagar as suas dívidas de curto prazo.

Porém, se o resultado for menor do que 1, é necessário ligar o sinal de alerta, pois isso demonstra que o empreendimento não conta com disponibilidades financeiras para pagar as suas dívidas de curto prazo. A análise contábil é imprescindível para estar a par da saúde financeira de um negócio, é muito arriscado não fazer uma gestão observadora.

Diferenças Entre Ativos e Passivos

Após ter lido esse artigo, você certamente já tem uma ideia bem clara de quais são as diferenças entre ativos e passivos, contudo, acho relevante expressar esse conceito em palavras para que se torne mais palpável. De maneira geral, os ativos de uma companhia são os seus meios de rendimento que representam benefícios. Por sua vez, os passivos são os meios de saída de capital do negócio como despesas e gastos.

Esses conceitos são utilizados no meio contábil, como uma forma de explicar o fluxo do dinheiro da corporação. Através do balanço dos ativos e passivos é possível saber se a empresa está vivendo um momento financeiro positivo ou se, em breve, ela precisará de uma nova injeção de capital. Os números podem ajudar a entender movimentos sutis de mercado que, muitas vezes, só são percebidos quando já é tarde demais.

Contrate um Contador

Para que as finanças da sua companhia estejam sempre em dia, é importante contar com o apoio de um contador. Além de fazer os balanços, esse profissional se dedica às questões burocráticas financeiras, como o Imposto de Renda, por exemplo. É muito mais em conta ter um contador trabalhando para a sua empresa do que arcar com os custos de possíveis erros.

Fonte: marcusmarques.com por Marcus Marques

Compartilhe:

Que tal conversar sobre
Planejamento Contábil?

Agende uma visita com a nossa equipe de especialistas.